Conheçam meus gatinhos ♥

Sempre amei gatinhos. Já tive 10, mas não de uma só vez. Em outros tempos, uma delas fugiu com um namorado e nunca mais voltou (e olha, era castrada, hein!). Outra faleceu recentemente, mas foi guerreira até o último segundo e ficamos com ela por 16 anos. Enfim, é uma pena que eles tenham de ir antes da gente.

Hoje tem 8 gatos em casa. Estou para fazer um post apresentando cada um deles não é de hoje e sempre adio pois preciso escolher a melhor foto de cada um para não ficar um post gigante. E você, que também tem bichinhos em casa, sabe que vivemos fazendo fotos deles, né? São pastas e pastas recheadas de fotos. Como escolher?

Como ter 8 gatos? Olha, aconselho ter uma casa, né? Moramos num sobrado confortável para nós (eu, pai e mãe) e para eles. E o quintal é a farra das minhas crianças. Eles tem bastante espaço para correr e brincar.

Então, vamos lá. Adiantando: são 6 meninas e 2 meninos. Vou fazer em ordem decrescente, por motivos de ~idosos tem prioridades~ hahahaha ♥ ♥ ♥


Essa é a Minnie. Minnie vai fazer 17 anos com a gente em setembro. Tenho ela desde os meus 8 anos. Apareceu na garagem do prédio que eu morava, embaixo de um carro e estava meio assustadinha. Devia ter uns 3 ou 4 meses. Não deu outra, subimos com ela para o apê. Já passou por alguns bocados nessa vida. Fugiu com namorado quando viemos morar na casa e acabou com barriga. Teve uma complicação séria quando esteve gravidinha e infelizmente não teve sucesso com o baby. Passou ano passado por uma cirurgia para a retirada de cálculos na bexiga. Já caiu pelo, já nasceu pelo, já emagreceu, já engordou. Olha, osso duro de roer, viu?



Falar da Bolinha não é muito fácil, porque ela é uma das filhas da Pepita, a gatinha que faleceu esse ano, que citei no começo do post. Bolinha é fruto de Pepita + algum gato siamês muito bonito que apareceu no telhado de casa há 13 anos atrás. É, Bolinha já tem 13 anos e vai fazer 14 em dezembro. Nasceu aqui em casa mesmo, tão branquinha que parecia um ratinho. Bolinha sabe por quê? Simplesmente porque parecia uma bolinha branca barrigudinha. Eu nunca soube que gato siamês nascia branco. Levamos até um susto quando ela foi crescendo e as extremidades (focinhos, orelhas, patinhas, rabinho) foram ficando escuros. E a vesguice? Sem comentários, é sua marca registrada. (Farei um post outro dia sobre gatos siamês!)



Sofia tem 8 anos (com a gente). Apareceu perto de casa bem pequenininha (por volta de 4 ou 5 meses) e meu pai acabou adotando. É super, mega, ultra carinhosa. Mas não gosta de colo. Quer dizer, quando a pegamos no colo, ela se enrosca toda e não se sabe se está curtindo ou se quer sair logo. É daqueles gatinhos que pedem carinho e se esfregam na sua perna. Sofia tem um miadinho tão bonitinho, que se eu flagrar algum dia, filmo e coloco no Instagram.



Essa é a Julia. Julia foi adotada porque quisemos mesmo. Não apareceu na porta de casa. Ela era um dos filhotes que meu sogro estava doando (eu queria mesmo era ficar com todos, né? mas não dava...). Quando a vi pequenininha, bati o olho e me apaixonei na hora. Era ela. Esperei desmamar e então trouxe para casa. Julia conversa com a gente. Eu converso muito com ela. Na língua dela, tá?! Falo gatês às vezes. Ela é escandalosa. Mia que nem doida pela escada e quando vê a gente mia também, adora miar e conversar e tagarelar com o povo. Mas ao mesmo tempo é super desconfiada, quando tem gente muito diferente em casa, ela passa rasteirinha por trás dos móveis para não ser percebida. Julia tem 7 anos e completa 8 em dezembro.



Pedro apareceu em casa bem Pedrinho. Tão pequeno que cabia na palma da mão. Sem brincadeira, acho que tinha acabado de nascer (tinha ao menos uma semana de vida). Foi deixado na garagem do vizinho da frente. Ouvi um miado fininho à noite. Meu pai abriu a porta e ele estava lá, miando, sozinho, com medo, indefeso. Resgatamos. E agora? Como lidar com um macho no meio de tanta fêmea? Virou o dono do pedaço e até faz par romântico com a Julia. Pedro fará 6 anos em novembro.



Bruno é o gatão da casa, forte, musculoso, um leão. Já tem 3 anos com a gente. Também apareceu perto de casa - aff, até parece que minha casa atrai gatos, hein? - *___* Foi meio que um reboliço né, uma casa cheia de fêmeas com um macho alfa - vulgo Pedro - dominando tudo. Quem tem gato e sempre pega outro, sabe o que acontece. Nas primeiras semanas existe um período de adaptação. Depois é só alegria. Os dois meninos são super amigos, na medida do possível. hehehe



Nina parece que nasceu grudada a minha pessoa. Tá aqui agora, do lado do computador, dormindo - é claro - mas não me larga. É só eu subir para o quarto que ela vem correndo na minha frente e espera até eu abrir a porta. A gente também conversa bastante e ela adora amassar meu edredom. Aliás, que gato não gosta? Outra que apareceu bem pequena na calçada da frente e meu pai que leva no sobrenome "Coração Mole", não resistiu e trouxe pra casa. Lembro de não estar em casa no momento, mas quando cheguei tive uma surpresa deliciosa. Uma caçulinha! Em outubro, fará 3 anos com a gente. Nina reinou absoluta por algum tempo... Foram 3 anos sem adotar um gatinho. Quando então...



Veio a Dorinha. Dora. Dora Aventureira. Vocês já conhecem a história dela. Contei aqui. Essa coisinha manchadinha estava para adoção no veterinário. De novo, o sr. Coração Mole atacou e quando cheguei do trabalho, tive uma linda surpresa: estava lá ela, sentadinha no sofá, olhando para mim, e eu olhando pra ela e me desabando a chorar de emoção, por ter novamente mais um filhotinho em casa. Dora tem uns 5 meses, mas conosco apenas 2. E a cada dia está mais esperta.


Todos eles são castrados, com exceção da Dora que ainda é muito novinha. Mas estamos providenciando tudo. Eu vivo fotografando eles. No meu Instagram tem outras fotos.

Você também tem pets? Gosta de gatos? Adotem!!! :)
Bjs.




Facebook

Publicidade