Desafio 52 Semanas: #45 Lembra a minha adolescência

Cueio Limão no Studio G, em Santos - 2010

1. Revista Atrevida
Eu colecionava a revista Atrevida até certo tempo da adolescência. Acho que começou a ficar meio caro e parei de comprar. Eu achava a Atrevida mais legal que a Capricho porque ela tinha a lombada quadradinha e a Capricho era meio molenga (até hoje, né?).

2. Shows
Fui em muitos e muitos shows de hardcore, emocore em Santos, principalmente no Espaço Fiesta (que agora virou buffet infantil), no Barbatanas, Studio G... Na maioria das vezes era pra ver Cueio Limão e Dead Fish, mas tinha também Granada, 35mls, Glória, Dance of Days, Strike, Aditive, Scracho, Wassup, Fresno, Dibob, NxZero, Sugar Kane, Forfun... Lembra de alguma dessas bandas? Algumas são bem conhecidas e deram bastante certo.

3. Bate-papo no UOL
Eu me encontrava com as amigas da sala de aula no bate-papo UOL!!! Olha como era difícil falar na internet. E era mesmo, porque quando marcávamos a sala, uma conseguia entrar, a outra já não conseguia porque a sala estava cheia. Depois veio o ICQ, o MSN, o Orkut e tudo ficou melhor... O Mirc eu cheguei a mexer bem pouquinho.

4. Fotolog
Claro, quem não tinha fotolog não era cool. Fotolog era o Instagram de hoje. Todas as bandas legais tinham e era lá que nós sabíamos dos shows. Eu odiava quando estourava os 10 comentários, mas tinha uma tática. Era só copiar todos os comentários, deletá-los e colar num só. Aí abria espaço para mais 9. Alguns tinham a conta gold e podiam ter comentários ilimitados, 3 ou 5 fotos por dia...Eu consegui ter fotolog gold depois de muito tempo por SMS, era R$ 4,99 por semana.

5. Festas de 15 anos
Fui em muitas festas de 15 anos na época do Ensino Médio que era justamente quando todas as meninas estavam fazendo 15 aninhos. Inclusive eu também fiz festa. Geralmente era a mesma coisa, DJ, valsa, baladinha. Hoje deve estar um pouco diferente, né? Na balada tinham aqueles passinhos clássicos das músicas eletrônicas.


O que mais você lembra da adolescência?
Bjs.



Caixinha de recordação do tempo da escola

Hoje é dia de um #feufanostálgica. Estava dando uma olhada em umas coisas guardadas no meu armário e vi a caixinha de recordação do tempo da escola. Você também tem uma?


Eu guardo diversas coisinhas nessa caixa, mas o que mais tem são cartas e bilhetinhos. Na época de escola, eu e as amigas trocávamos cartas ou pelo correio ou ali na hora da aula mesmo, mas só podia ler depois!

Tem coisa engraçada, tem segredo, tem bobeira, tem chateação da aula... Quem aqui falava em código com as amigas? Uma vez eu e uma amiga criamos um código de desenhos e letras. Era super difícil de escrever, a cola tinha sempre que estar do lado, mas juro, que de tanto escrever cartinhas, acabei decorando na época, hoje não lembro mais nada. Olha só isso...



Outra coisa que também rolava na sala de aula, que tenho na caixa, são os chats de papel. Geralmente era zoando algum professor, falando mal da aula, perguntando o que ia fazer no final de semana, coisas assim, totalmente relevantes.
Não lembro de um professor pegar o papel da gente, ainda bem, né? Já pensou se tivesse algum segredo ali e ele começasse a ler? MEDO!


A caixa fica guardada lá em cima no guarda-roupa. De vez em quando eu pego, abro, dou uma olhada em algumas cartas e lembro de cada momento, parece que o tempo volta e eu tenho 13 anos de novo.


Você também guarda uma caixa dessas? Tem o que dentro? Cartas, segredos, bilhetes, fotos? :)
Bjs.

Tattoo Choker? Eu usei nos anos 90!

Se você, assim como eu, também passou a infância nos anos 90, provavelmente tenha usado a famosa Tattoo Choker.

Pra quem não sabe, Tattoo Choker nada mais é do que o "colar tatuagem" ou ainda coleirinha. Sim, nós chamávamos também de coleira.

Eu, com uns 9 ou 10 anos.

Olha aí eu com a tal Tattoo Choker. Eu deveria ter mesmo uns 9 ou 10 anos nessa época. Agora se você está se perguntando porque eu estou com essa blusinha de paetês, é simples, vou explicar.
Dá para ver que é uma foto de estúdio, né? Pois então. Meu colégio tinha uma parceria com o Studio Zoom, um famoso estúdio de fotos de Santos (não sei se ainda existe). Eles sempre estavam na escola tirando fotos das crianças; as mães que quisessem uma foto legal era só pagar depois. Eu e minha prima sempre, mas sempre estávamos tirando foto, porque nossas mães queriam. A mãe da minha prima era coordenadora do colégio na época, e aí não sei se ficava mais fácil para tirarmos as fotos (acho que sim!). A moça me colocou essa blusinha horrível, que eu lembro até hoje que ficava caindo, pois não era meu tamanho. E penteou meu cabelo desse jeito. 

E claro, eu não tirei a coleirinha porque eu era fascinada por isso. Ia pra escola com ela sim, de uniforme, porque era cool e combinava. Era lindo! 

Ano passado, em abril, eu fiz um post de top 5 cafonices dos anos 90 que eu usei. E o colar tatuagem tá lá, no top 1. E eis, que de repente, do nada, surge a moda novamente. 



Cata as blogayras usando já! 

Pelo que vi em alguns sites de street style, muitas meninas de fora já usam faz tempo. Mas no Brasil, a moda voltou praticamente agora. Acho brega? Acho! Condeno? Não. Mesmo achando brega, considero que algumas meninas seguram muito bem a tal coleirinha. Não acham? Já digo, não vou relembrar minha infância não aderindo à Tattoo Choker, só olhando as fotos antigas mesmo. ;)


E você? O que acha da moda do colar tatuagem? Vai usar? Já tá usando?
Bjs.


Quando criança, eu tinha medo de...

Criança se impressiona fácil com tudo! Seja um filme de terror, o Papai Noel, o palhaço, um inseto, alguma frase que o adulto fale... Quando criança, eu tinha medo...


1. Da mariposinha de banheiro
Também conhecida como Mosca-de-banheiro. Nessa foto aqui, ela parece bem mais assustadora, porque está aproximada. O fato é que quando eu era criança, morei num apartamento e quase não tinha insetos, uma barata de vez em quando (já que era 1º andar), mosquitos, formigas, moscas...e essas mariposinhas de banheiro, que ficavam, geralmente, grudadinhas no vidro do box. Eu morria de medo delas, porque se a gente ameaçasse a matar, elas queriam se vingar e vinham pra cima. Sempre, mas sempre, chamava minha mãe para matar. Aí quando me mudei para uma casa, era ridículo! Tem muito mais inseto, tem inseto que eu nem sabia que existia e as moscas-de-banheiro passaram a ser "fichinha" perto de lacraias, por exemplo. hahahaha

2. Do Velho do Saco
Um clássico da infância. Alguns conhecem também como Homem do Saco. "Não faz malcriação porque senão o Velho do Saco vem te buscar!". E eu imaginava um velhinho bem feio mesmo, com barba gigante cinzenta, cara de mau, barrigudo, vestindo uma roupa velha e cinza e segurando um saco marrom nas costas cheio de crianças. AFF.

3. Do escuro
Eu só dormia no meu quarto com aquelas luzinhas vermelha, azul, amarela de abajur, sabe? E dormia com bichinho de pelúcia sim. Engraçado, né? Hoje, quanto mais escuro o quarto estiver, melhor eu durmo.

4. De barulhos suspeitos
Principalmente a noite. Quando tinha que fazer xixi? Levantava correndo e ia correndo ao banheiro e voltava correndo pra cama. Normal, né, aquela impressão que tem um monstro vindo atrás de você. Até hoje eu sinto isso, pior que agora, eu moro em um sobrado, e às vezes tenho que descer a noite, ou subir, apagar tudo, aí lá embaixo fica tudo apagado, subo as escadas correndo HAHAHAHA Que besta eu.

5. De fazer exame de sangue
Era um sufoco... Eu sempre chorava muito. Uma tortura, uma experiência horrível. Mas tudo ficava bem quando a gente (eu e minha prima) ganhávamos figurinhas do álbum da Barbie depois de sair da clínica. :)


E você? Tinha medo do que quando criança?
Bjs.



10 coisas que marcaram o colégio

Eu vivo relembrando minha época de colégio. Quando somos crianças ou adolescentes, vivemos reclamando pra todos os cantos como é chato ir pra escola. Mas o pior é que quando essa fase passa, a gente fica que nem boba lembrando e querendo que tudo volte.

Sempre estudei no mesmo colégio e as amizades eram praticamente as mesmas por longos períodos. Entrei no Colégio Integração com 2 anos e pouco e só saí de lá com 17 anos. Era uma escola e tanto, gostei muito de estudar lá. Muitas coisas marcaram o colégio, dentre elas...


1. A hora de comprar o material escolar
Era a parte mais legal de voltar pra escola. Eu adorava comprar aqueles estojos de lápis de cor da Faber Castell. Acabava acumulando de um ano pro outro, porque sempre comprava um novo, claro, todo ano era um lançamento: cores neon, aquarela, metálicas, ixi...

2. As aulas de ciências
Sempre fui muito fã da minha professorinha de ciências. Ela era uma fofa e ensinava muito bem as matérias. Em uma visita a um museu, decidi que queria ser bióloga. Aham, tá.



3. As excursões com a galera
Eu sempre fui muito, mas muito protegida pela minha mãe. A escola sempre fazia milhares de excursões, mesmo com os pequenos. Mas eu não podia ir... Eu só fui pra uma excursão do colégio com uns 14 ou 15 anos, pro ~extinto~ Playcenter.

4. As mentiras na Educação Física
Eu odiava fazer as aulas de Educação Física. A única coisa boa é que saíamos da sala de aula para irmos até a quadra. Mas eu sempre inventava uma desculpa para não participar, que geralmente era cólica hehehe. Nunca gostei de handebol, vôlei, basquete, sempre era muito desastrada nesses jogos. Eu gostava mesmo era de ficar de bobeira na arquibancada, esperando a hora passar. Era uma aula vaga pra mim. Ah, o único jogo que eu gostava era queimada.

5. As boladas de aula no Ensino Médio
Quem nunca teve uma aula chata no Ensino Médio? Encontrei uns CDs muito antigos com umas fotos da escola, e algumas delas eram da hora da bolada de aula hehehe. Não lembro bem que ano era, mas sei que o 2º ano foi um dos mais chatos e difíceis, então talvez seja do 2º ano mesmo. Eu e as meninas, bolávamos aula dentro da escola mesmo, tontas né? Não dava pra sair, era impossível, sério. Ainda mais que eu era sobrinha da orientadora, aí a inspetora me conhecia... Então, nós nos escondíamos em locais que quase não ia ninguém. E ficávamos lá a aula toda, conversando, fofocando, tirando foto...

6. O sono na aula
Sempre estudei a tarde, mas no Ensino Médio acabei indo pra manhã. Por um lado era bom, por ter a tarde livre, mas por outro... E o sono na aula chata de história? Não dava. Eu dormia mesmo.



7. As dancinhas da Educação Infantil e Ensino Fundamental
Eu dancei em praticamente todas as festas que tiveram até a 4ª série: festa junina, folclore, fim de ano, dia das mães... eu sempre participava de tudo. Era super legal fazer a roupa na costureira e depois encontrar as amiguinhas na hora do show com o mesmo figurino. Só que era engraçado às vezes, a costureira das outras meninas não entendia o que o papel pedia e sempre tinha alguém com a fantasia meio diferente.

8. Uniformes do colégio
Como disse, passei um bom tempo no mesmo colégio e assim, peguei várias fases de uniformes. Existia apenas uma loja que vendia os uniformes do Colégio Integração, ficava num shopping em São Vicente, em frente a praia, o Shopping São Vicenter (que agora foi reformado e virou Pátio São Vicente). Teve uniforme cinza mescla, azul céu, branco, azul escuro, de educação física, e os logos mudaram bastante desde que eu entrei lá. Hoje em dia, o tom azul escuro está mais predominante e o logo bem mais moderno.



9. Meu primeiro fichário
Até a 4ª série, tínhamos que usar um caderno para cada matéria, daqueles pequenos, capa dura, 100 folhas AND etiquetados AND encadernados com a cor do ano (por exemplo, a 4ª série era 4ª Verde). Imagina o peso que era carregar na mochila... Quando fui para a 5ª série, era permitido usar um caderno só, daqueles de 10, 15 ou 20 matérias, ou um fichário. Putz! Sempre quis usar fichário. Comprei um da Mormaii, ele era lindinho, feito de jeans e tinha um coração no centro. No começo, show. Depois... as folhas começavam a rasgar, era gente pedindo emprestado para copiar alguma matéria, e aí já viu. Virava uma zona. Usei fichário só na 5ª série. Da 6ª em diante, só caderno.



10. Cartinhas das amigas
Teve uma época do colégio, lá pela 5ª e 6ª série, se não me engano, que adorávamos trocar cartinhas. Às vezes, mandávamos pelo correio, o que era mais emocionante, outras vezes entregávamos umas às outras ali mesmo, na sala de aula. Tenho até hoje uma caixa repleta de várias cartinhas fofas. Os assuntos eram os mais variados possíveis: fofocas, músicas, filmes, garotos, aulas chatas, novelas...


O que mais te marcou no colégio?
Bjs.

Este post é um dos temas sugeridos pelo Rotaroots.





Nostalgia: bala de guirlanda

Bala de guirlanda? Guirlanda? Eu sei, o Natal já passou. Não vou trazer nenhum tutorial de como fazer uma dessas aqui.

Mas eu só queria deixar registrado aqui no Feufolândia uma das coisas mais legais do Natal quando eu era criança.
Eu poderia falar disso no Natal, né, ano passado. Ontem, voltando do banco com minha mãe, passamos por uma bomboniere antiga aqui do bairro e eu vi a bala de guirlanda. Eu já tinha matado a saudade dela no Pilates, porque a minha linda fisio tem um baleiro com essas gostosuras e foi como voltar no tempo.


Não me contive e agarrei um saco dessas balas como se eu fosse uma criança de 7 anos de novo. 
Tenho certeza que você já experimentou essa balinha. Não tem nada de mais. É uma bala durinha de morango, bem doce. Mas aqui, o que vale é o sabor da infância.

Morei num prédio de três andares até meus 11 anos. Morava no primeiro andar, no apartamento 12, e no mesmo andar tinham mais três: o 11 ao lado, o 13 em frente e o 14. Era uma farra, pois a maioria das crianças eram da mesma idade e meninas. Minha prima, que é quase dois anos mais nova que eu, ficava a maior parte do tempo lá em casa. 


Quando chegava a época de Natal, aguardávamos ansiosamente o apartamento 13 (o da frente) dar o ar de sua graça. A moça sempre fazia uma linda guirlanda de balas para enfeitar sua porta. Eu e minha prima, ficávamos olhando de dentro de casa pelo olho mágico, só na espreita, esperando o momento certo de atacar.

Pronto! A guirlanda estava na porta. Eu e Nayara saíamos de casa, corríamos até a porta do 13 e puxávamos cada uma pelo menos umas 4 balas e depois, fugíamos de volta pra minha casa como se fôssemos criminosas perigosas. E rindo, né? 

Eu tentava imaginar se a moça ficava olhando pelo olho mágico dela enquanto puxávamos as balas, e a coitada da guirlanda ficava depenada rapidinho. Será que ela fazia cara feia? Ou era isso mesmo que ela queria? hahahaha 


Numa mesma tarde, "roubávamos" muitas balas. É claro, que não era só a gente que fazia isso lá, pois como falei, moravam mais crianças no prédio. Mas acho que nós éramos as principais por deixar a guirlanda cada vez mais depenada. E então, como num passe de mágica, no dia seguinte, surgia uma nova guirlanda, com balas fresquinhas para roubarmos de novo e de novo e de novo. hehehehe

Era uma aventura! Talvez melhor do que ganhar o presente de Natal. Roubar balas da guirlanda do 13 era demais!!!


Você já teve essa oportunidade incrível de roubar balas de guirlanda também?
Bjs.




Fotos antigas de família

Esse é um post que eu queria muito fazer faz tempo aqui no blog. Mas estava difícil, já que não encontrava as fotos. Outro dia, fuçando uns CDs antigos, voilà. Poderia escanear de novo, mas não tenho scanner, teria que usar o do Paulo, sempre acabo esquecendo. :P

Adoro relembrar minha infância, viagens que fiz com meus pais, e tudo mais, sou um tanto nostálgica, imagina quando for mais velha! Com as fotos que achei já vai dar para fazer um post bacana.

Minha mãe e eu, na piscina de um clube aqui em São Vicente.


Eu e meu avô comendo todo o papá 


Aqui, num clube em Caldas Novas/GO.


Eu, com coração patriota, ao lado do amigo loirinho Carlos também patriota (que já casou e já é até papai!). Essa foto foi numa festa do colégio para as mães.


Vó, mãe, pai e eu, num passeio de barco em Cabo Frio/RJ. 


Eu, no meu tigre inflável viajante, e uma menina que não faço ideia quem seja. :P Essa também foi num clube de Caldas Novas/GO.


Mãe, Nayara (minha prima inseparável) e eu, provavelmente também em Goiás.


Eu e minha tia, na antiga casa dela. Detalhe para a televisãozinha de mesa que era PB ainda hahaha.


Eu e minha tia, de novo, na minha festa de 1 aninho. Detalhe agora para o ser lá atrás com botas brancas. Geeeente!!! Olha a moda da época. 


Para finalizar a sessão nostalgia, uma foto que eu gosto bastante: eu e meu pai. Eu felizona na bike dele, e ele todo elegante no estilo navy (já manjava das moda). Ah, a título de curiosidade: meu pai era conhecido no prédio como "baixinho da Kaiser", só olhar pro bigode para entender. Alguém lembra desse personagem



Chega, né? :P
Vocês costumam escanear fotos antigas? Têm ainda álbuns antigos da família e se pegam vendo de vez em quando? Ou nem dão bola pra isso mais e deixam as traças comerem tudo? hahahaha
Bjs.


Desafio 52 Semanas: #18 Sinto saudades...

Tema MEGA difícil. Sinto saudades de muitas coisas da infância, do tempo de colégio, de pessoas, de momentos, de coisas recentes até...



1. Das viagens em família
Acho que é uma das coisas que mais sinto saudades. Quando eu era criança viajava bastante com meus pais, era de lei, todas férias escolares. Adorei as viagens de carro pelo nordeste brasileiro, as viagens para Caldas Novas, Brasília, Foz do Iguaçu, Campos do Jordão, Búzios, até para uma cidadezinha chata de Minas Gerais. Meu pai sempre gostou muito de viajar de carro na época, mas hoje é meio loucura pegar o carro e sair por aí parando em várias cidades, meio sem roteiro, sabe? 

2. De assistir O Fantástico Mundo de Bobby
Um desenho que super sinto saudades. Me diz por que não passa mais? A parte mais divertida era a abertura, pra quem não lembra, clica aqui. Sempre gostei de desenhos, assistia muito Ursinhos Carinhosos (5, 4, 3, 2, 1!), Pica-pau, Tom e Jerry, Pernalonga e mais tarde, Pokémon. 

3. De comprar material escolar
Nossa, isso era tão legal! Há alguns meses, comprei um estojo de lápis de cor e fiquei lembrando como era divertido riscar os itens da lista de material escolar. Lembro das minhas mochilas da turma do arrepio, quem teve? Da borracha de trocar cor, da borracha branquinha (tenho várias até hoje bem sujinhas), da lapiseira de trocar ponta, do estojo super legal que nunca tive... hahahaha E quando fui para a 5ª série que podia usar fichário? Foi demais escolher um, acho que comprei um jeans da Mormaii. 

4. De gravar músicas da rádio com fita cassete
Genial, gente. Lembro de algumas rádios que avisavam: "Essa é sem vinheta! Essa é pra gravar!". Dava o apito e começava a música sem interrupção do locutor, para sua gravação ficar linda na fita K7. Gravei vááárias músicas, a que eu mais lembro agora era My Heart Will Go On, de Titanic. 

5. De passar horas montando casinha de Barbie com a minha prima
A parte mais divertida de brincar de Barbie era montar a casinha. Meu quarto ficava lotado de coisinhas, acessórios, roupinhas das bonecas. Juro que tinha vezes que até desistíamos de brincar de tanto que levava tempo para montar as coisas. Aí a desculpa para não arrumar a bagunça era que brincaríamos no dia seguinte. 


Tantas outras coisas... das amizades da escola, das boladas de aula dentro da escola, do salgado folhado da cantina, das festas temáticas da escola, das danças, dos ensaios, das aulas de flauta, das excursões pro Playcenter, das aulas malucas de artes, das recentes férias, da Pepita, da Vitória, da Lili, da Veneza, do Timão, de assistir Chiquititas quando chegava da escola, de ver o Disk MTV colada na TV, de assistir Rei Leão, Branca de Neve, 101 dálmatas, Pinóquio, Pequena Sereia quinhentas mil vezes com a minha prima, de roubar balas da guirlanda da vizinha, de colar nas provas e morrer de medo, das festinhas no estágio da prefeitura...


Bjs. =')


4 brinquedos que eu quero guardar para meu filho

Faz tempo que não faço um meme do Rotaroots. Hoje eu vou falar dos 4 brinquedos que eu quero guardar para meu filho. Esse tema é de outubro, mas como os temas de novembro ainda não saíram então dá tempo de eu fazer.

Já falei muito de brinquedo aqui. Gosto de lembrar da minha infância. Doei muitos dos meus brinquedos, mas ainda guardo alguns que são especiais pra mim, dentre eles...


1. Teclado


Um deles é esse tecladinho. Ganhei dos meus pais quando eu tinha uns 3 ou 4 anos. E foi com ele que tomei gosto por música e aprendi a tocar teclado. Mais tarde, ganhei um maior para poder treinar as músicas do curso. Música é muito bom. Sempre gostei bastante, mas por hobbie mesmo. Tanto que eu acabei enjoando das aulas de teclado e larguei o curso depois de uns 3 anos estudando. Fiz também aulas de violão clássico e flauta doce na escola. Com certeza, vou apresentar música pro meu filho, o Paulo vai apresentar a bateria, o violão também... aí já viu. hahahaha


2. Contos de Grimm


Acho que ganhei essa caixinha de livros da minha prima quando tinha uns 6 anos... Não lembro bem, também não tem a data anotada nela. É um baúzinho que vem cinco livros de estórias como Branca de Neve, Rapunzel, Rumpelstiltskin, O Alfaiatezinho Valente e O Príncipe Sapo. São livros lindinhos, todos fofinhos e fáceis de ler. Ótimo para crianças que estão começando a leitura.


3. João-bobo


Esse João-bobo ganhei com 1 ano e minha mãe sempre guardou. Ele é muito fofo, apesar de estar meio judiado pelo tempo. Faz um barulho engraçado, como se tivesse um sino dentro. É ótimo para entreter bebês. :P


4. Câmera lomo


Vai, é quase um brinquedo. E é tão leve que não faria mal nenhum a uma criança. Vai durar por muito tempo ainda... O olhar da criança é super diferente do de um adulto e com certeza sairão ótimas fotos com ela.


E vocês? Quais brinquedos vão guardar pros filhos? :)
Bjs.



Desafio 52 semanas: #11 Meus brinquedos preferidos na infância...

Esse tema do Desafio 52 semanas veio bem a calhar no mês de outubro. Mas eu já vim aqui no blog falar meus brinquedos preferidos na infância. Clique aqui se você ainda não viu. Hoje então, vou falar sobre as brincadeiras, não sobre um brinquedo específico. Tenho que listar cinco!

Ilustração: Rodrigo de Oliveira / MdeMulher

1- Esconde-esconde
Quem nunca brincou de esconde-esconde não foi feliz na infância. Eu morava num prédio e a garagem era o playground para a criançada. Nos escondíamos entre os carros, atrás das pilastras, nos fundos do prédio, mas só valia ali na garagem. Era tão legal. :)

2- Pega-pega
Essa é outra clássica. Não gostava muito não, pois eu sempre era pega hahahaha A mais baixinha da turma, não conseguia correr tanto.

3- Morto-vivo
Eu e minha prima brincávamos de morto-vivo principalmente quando íamos em alguma festa na casa da tia. Todos os adultos ficavam lá conversando até altas horas e tínhamos que nos virar para não ficar entediadas.

4- Estátua
Também adorava brincar disso. Geralmente eu ganhava. hahahaha Era uma outra brincadeira para as festas chatas de adultos.

5- Chefinho mandou
"Chefinho mandou! Fazer o quê?" A melhor brincadeira de festas chatas. Importunávamos os adultos para dar o que o chefe tinha pedido. Era alguma nota de dinheiro específica, meia da cor tal, óculos, até cigarro ou isqueiro. Vê se pode.

Poderia citar mais um monte: batata-quente, cobra-cega, queimada, elefantinho colorido, corre cotia, amarelinha, cinco marias, stop, forca, dança das cadeiras, cama de gato, pula elástico, passa anel, telefone sem fio... e muitas outras.

Do que você mais brincava quando era criança?
Bjs.


Internet Old School

Em agosto, eu respondi um teste do Buzzfeed sobre internet. A pergunta era a seguinte: "Quanto você fez parte da história da internet no Brasil?". Eu comecei a usar internet com uns 11 ou 12 anos, quando ganhei meu primeiro computador. E, creio que como vocês, conectava só após à meia noite com aquele barulhinho nostálgico da internet discada. Do teste, eu marquei 27 de 50 itens. Se você quiser fazer também, clique aqui.

Resolvi trazer esse tema aqui pro Feufolândia e lembrar com vocês algumas coisas dessa internet old school que fiz parte. Não vou colocar todas as 27 porque são muitas e ficaria um post muito longo.


Que Google o quê! Cadê rocks! As buscas na internet eram feitas no Cadê?, que agora virou o Yahoo Search. Foi o primeiro buscador brasileiro, fundado em 1995. Se você digitar www.cade.com.br já redireciona para o Yahoo.



E o ICQ? Você também usou? Eu usei bastante, comecei a conversar com meu namorado através do ICQ, depois que veio o MSN. Lembro até hoje do meu número: 223237355. E o mais legal é que o ICQ voltou. Tem até para celular. Eu já tenho e converso com algumas meninas do grupo Rotaroots. Super legal, tem figurinhas, dá para formar grupo e o número continuou o mesmo. \o/



Ainda antes do ICQ, tinha o Bate Papo Uol. E era MEGA disputado. As salas mais legais ficavam sempre cheias. Eu me encontrava direto com algumas amigas da escola e às vezes era super difícil de achá-las, ou porque passavam o nickname errado, ou porque entravam na sala errada ou porque eu entrava na sala, ela ficava cheia e não dava mais para elas entrarem. Ufa! Era difícil. E também tinham as "salas proibidas" que a gente sempre xeretava e fingia a idade. hehehehe



As músicas que eu escutava no computador eram baixadas no Kazaa. Quem usou o programa também? Pior era quando a música vinha "bixada", com um barulho estranho de ET, ou não vinha nada ou vinha outra música nada a ver. Que raiva! A internet era lenta demais, demorava séculos para baixar uma música e ela ainda vinha zoada. Haja paciência. Também usei o eMule e o Shareaza mais tarde.



Para acessar a internet era necessário ter um discador instalado no computador. Tinham vários: iBest, IG, iTelefonica, Oi, Terra, Uol. Eu lembro de ter usado os gratuitos iBest, IG e iTelefonica. A conta da IG minha mãe usa até hoje. E como eu falei lá em cima, o mais legal era o barulhinho da internet discada. Esperávamos até a meia noite do dia de semana para conectar ou no final de semana no sábado depois das duas horas da tarde e de domingo podia ficar o dia inteiro online. Pior que o telefone ficava mudo e sempre que alguém quisesse usar tinha que desconectar a internet. Ahhhhh... E o download no meio do caminho?



Quando o assunto era humor, os sites mais acessados eram Humortadela, Bacaninha e depois veio o Charges, que continua até hoje com as famosas piadinhas de Mauricio Ricardo. Os dois primeiros eram repletos de piadas animadas, que pareciam slides com gifs animados. A gente podia mandar para as pessoas por e-mail também. O Humortadela continua, mas o Bacaninha não existe mais.



Meu primeiro fotolog foi no Flogão. E não consigo mais encontrar o endereço, acho que foi deletado faz tempo. Mas não era tão legal quanto o Fotolog.net. Lembra? Era uma briga para ter uma conta lá com a internet discada. Quando chegava meia noite, corria pro site para tentar criar a conta, mas nunca conseguia devido a lerdeza da conexão. O site era muito acessado a essa hora. Uma amiga que conseguiu fazer pra mim. E quem era Gold? Se não me engano, tinha direito a comentários ilimitados, mais de uma foto por dia e algumas outras regalias. Fui ter uma conta Gold depois de muito tempo quando abriu para comprar pelo crédito do celular, porque antes era só em dólar. Muitas bandas, como CPM 22, Dead Fish, Forfun, divulgavam a agenda de shows no fotolog.



E por fim, mas não menos importante, o Orkut, que está com seus dias contados. Para ter uma conta na rede social mais famosa do Brasil (naquela época) era preciso ter um convite. Se não me engano, entrei com convite, mas não faço ideia de quem. Participava de diversas comunidades, tinha aquela Discografias, a comunidade perfeita com milhares de álbuns para baixar, lembro também dos depoimentos, scraps, 100% legal, sexy e confiável, álbuns com apenas 12 fotos, e tantas outras coisas que vão deixar saudades, porque o Orkut vai nos largar oficialmente no dia 30 de setembro. ~ai ai~ =')


Também usei um pouquinho do mIRC, tive ZipMail, BOL, SOL (SBT Online), recebi as fotos do Tourist Guy e suas respectivas montagens, tentei fazer site com HPG e Kit.Net, instalei o AOL, tive blog no Weblogger... Enfim, muitas coisas.

E vocês, o que mais lembram da internet old school?
Bjs.



5 programas que marcaram minha vida

O Rotaroots (o melhor grupo do Facebook hahaha) preparou vários temas suuuuuper legais para o mês de agosto. Vou começar com o meme 5 programas que marcaram minha vida. Preparem-se para mergulhar na nostalgia da minha infância/adolescência.

Ah, se você quiser ver os temas do mês de julho, clique aqui.


1. Topa Tudo Por Dinheiro
La, la, la, la, hey! La, la, la, la, hey! Silvio Santos vem aí, olê, olê, olá! Sem dúvidas, o programa que mais marcou minha vida. Assistia todos os domingos com minha mãe. O melhor programa de auditório dos anos 90. Hoje, o Programa Silvio Santos é super diferente, é claro que o mestre continua causando, mas o Topa Tudo Por Dinheiro era especial por vários fatores: as câmeras escondidas (até hoje reprisam umas dos anos 90), "Vamos topar tudo por dinheiro no palco, vamos!" - onde acontecia as melhores brincadeiras do programa e as pessoas ganhavam R$ 80 reais de prêmio de participação, a senhorinha que ia a todos os programas e tinha a melhor risada do mundo, brincadeiras com a platéia do tipo martelar o prego, o pin, quebrar o ovo na cabeça, e um auditório lindo com todas as "colegas de trabalho" do Silvio. Um episódio que não dá para esquecer é do Moisés que foi topar tudo por dinheiro no palco, mas não conseguia entender de jeito nenhum a brincadeira. Se você não lembra, veja aqui.



2. Chiquititas
Eu amava Chiquititas e comprei todos os CDs na época. E quando entrava o clipe no meio da novela: "Não me diga mentirinhas, dói demais..."? Adorava cantar junto! A minha Chiquitita favorita era a Mili (Fernanda Souza) a mocinha e boazinha. No começo, só moravam meninas no orfanato, e depois que entraram os meninos, o meu favorito era o Mosca (Pierre Bittencourt). Você também assistia? Lembra o nome de todos personagens? Desses da foto eu até lembro: Cris, Rafa, Bia, Mili, Carolina, Pata, Mosca, Vivi, Julio, Binho, Ana, Fábio, Maria, Thiago, Tati. Achei um vídeo com todas as aberturas da novela entre 1996 e 2003. Veja aqui. Ah, eu sabia a coreografia também... :)



3. Bom dia & Cia
Quem se lembra do programa Bom dia & Cia com a Eliana, o Computador Flitz e o boneco mega esquisito Melocoton? Eliana sempre entrava no ar cantando uma de suas músicas, tipo aquela: "Põe a mãozinha pra frente, põe a mãozinha pro lado, põe a mãozinha pra frente, balanço ele agora, eu danço pop pop, eu danço pop pop, eu danço pop pop, assim é bem melhor". Não era incrível acordar com essa música? hahahahah Achei um vídeo com uma abertura do programa do SBT (porque depois ela foi pra Record e eu assistia também!) que diz ser de 1994, uau! Veja aqui. Ah, e também tinha os trabalhinhos artesanais que ela ensinava com a tesoura seeeem ponta!!! Isso era programa, não esse Bom dia & Cia novo aí que dá playstation-playstation-playstation de presente. Hunf!



4. Chaves
Um clássico. Vou assistir até morrer. É um dos meus programas favoritos até hoje. Vira e mexe o Silvio Santos tira da grade do SBT, sem ao menos nos avisar, mas sempre que passa, eu assisto e o mais gostoso é assistir com meu pai porque ele ama tanto quanto eu. Adoro o humor bobinho do Chaves e todos os bordões e poses e piripaques do Chaves, e episódios clássicos como o de Acapulco ("...boa noite meus amigos, boa noite vizinhança..."). Vocês também gostam? Acho difícil encontrar alguém que não goste de Chaves...



5. Disk MTV
Nessa época eu já era adolescente. Chegava da escola e a primeira coisa que fazia era ligar a TV para ver Disk MTV com a Sarah, e ouvir minhas músicas favoritas que estavam nas paradas. Gostava muito da Sarah, ela era uma ótima VJ e me parecia mais a vontade do que os outros VJs que vieram mais tarde, ela parecia fazer aquilo mais naturalmente. As músicas mais tocadas da época que eu lembre agora eram Behind Blue Eyes (Limp Bizkit), Numb (Linkin Park), Wake me up when september ends (Green Day), My Humps (Black Eyed Peas), Rich Girl (Gwen Stefani), Hey Ya! (Outkast), Sk8er boi (Avril Lavigne), Equalize (Pitty), Um minuto para o fim do mundo (CPM22) e tantas outras...


Este post é um dos temas sugeridos pelo Rotaroots.


Quero saber quais são os programas que marcaram a vida de vocês. :)
Bjs.



O Orkut está com os dias contados


O assunto mais falado dos últimos dois dias é o fim do Orkut. Sim, se você ainda não sabe, o Orkut está com os dias contados.Você ainda está lá? Usa de verdade ou sua conta está lá sozinha, com a caixa de scraps lotada de spam?


O Orkut fez parte da minha vida. Entrei na rede social dominada por brasileiros na época que ainda precisávamos de convite. E fui muito feliz lá. Já... Já deletei minha conta. Deletei na época que criei o blog, se não me engano. O Face já estava tinindo e o Orkut morrendo aos pouquinhos. 

Orkut Buyukkokten, o fundador. - Foto: Reprodução/Facebook

Teve época que eu queria ter o maior número possível de scraps, milhares de amigos, depoimentos mil e muitas comunidades. Depois veio uma fase "hipster emo" que o legal era apagar os scraps para ninguém fuçar a sua vida, ter depoimentos só dos amigos mais íntimos, adicionar amigos que você realmente conhecia e participar de comunidades que agregassem alguma coisa. Não era assim? As fotos do álbum, além de privadas, eram só as melhores, claro. Acho que isso era um sintoma de que o Orkut já não fazia mais parte de mim e eu precisava migrar para o Facebook, onde tudo era mais cool. Por exemplo, usamos nosso nome lá: Fernanda Maciel. No orkut era tipo assim: 
゚・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。Fe®ñɑñƉ@・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。 Por que, meu Deus? Só que é mentira, né? Porque além de ter todos esses caracteres especiais difíceis de conseguir entender, era um apelido.

O fato é que foi uma fase ótima que, assim como o MSN, nós já estamos sentindo saudades. Uma das minhas comunidades favoritas era a "Discografias". Alguém lembra? Fiz muitos CDs baixando os álbuns por lá, através do Megaupload. Era fácil e a comunidade era a mais organizada do mundo. Outra que eu passava horas era a "Eu Amo Meu Namorado - EAMN". Tinha tópico de tudo: sobre namorado, sobre namorada, sobre traição, sobre curiosidades, sobre consultas médicas e muitos barracos com os perfis fakes. Eu não participava de nenhum, tá? hahaha Só ficava na janelinha do bonde espiando.
Olhando o print abaixo, lembrei que passava um bom tempo também na "Presentes Originais" buscando ideias diferentes para dar de presente para meu namorado.


O legal do Orkut era o sistema de fórum nas comunidades que se tivesse uma moderação legal ficava super organizada e era fácil se achar num tópico. O Facebook já não tem essa coisa de fórum, mas a galera consegue se virar com os grupos.

Minha mãe é super antenada na internet e ainda está no Orkut (ela também tem perfil no Facebook). E ficou MEGA triste com a notícia do fim da rede. Ela faz parte de uma comunidade sobre os anos 70 e para vocês terem uma ideia de como leva a sério, até participou de encontros, quer dizer, Orkontros, com a galera da comunidade, além de realizar diversos amigos secretos online. Fez amizades incríveis por lá, de trocar telefone e endereço! Também encontrou muitas pessoas da época de escola dela nas diversas comunidades de colégios: "Turma de 1972, alguém aí?", tipo isso, sabe? O Orkut uniu as pessoas e fez com que pessoas que não se viam há anos, se encontrarem novamente.

Enquanto o MSN conectava, o Orkut era o primeiro site que eu abria... Como já disse, apaguei minha conta faz um tempão, mas com toda essa nostalgia vindo à tona, bate aquela saudade, né, principalmente da época de escola, adolescência, começo de namoro, tudo bom demais!

O youPIX tem diversos posts que valem a pena dar uma olhada para gargalhar e matar a saudade das pérolas do Facebook. Eu não fui da era Buddypoke e Colheita Feliz, mas lembro muito bem do menino Evandrim, da Katilce Miranda, que beijou o Bono do U2, das mensagens de Sorte do Dia, de ser 100% sexy, da função visitantes recentes que a galera odiava/amava e dos gifs lindos e animados que corriam soltos nos scraps.



Dia 30 de setembro a rede será extinta, segundo o próprio Orkut, as comunidades públicas farão parte de uma espécie de museu da internet, elas estarão lá visíveis, mas não poderão ser editadas. Acho legal essa ideia!

E aí, do que mais você sente saudade no Orkut?



Facebook

Publicidade